terça-feira, 3 de maio de 2011

Pataxós

Mateus Figueiredo

Habitam seis núcleos de povoamento:

A língua originalmente falada pelos Pataxó não é mais utilizada, tendo sido substituída pelo português. Há algumas palavras emprestadas da tribo Macaxalí, do norte de Minas Gerais, e os índios tendem a reconhecer o Maxacalí como a própria língua. Não há mais a prática de rituais indígenas, e as festas se confundem com o calendário católico da região, onde os índios comemoram as festas de N. Sra. da Conceição e São Sebastião. O posto indígena mantém uma escola que ensina da 4a série até o 1o grau, onde o ensino é o padrão, ignorando as características culturais do povo pataxó.

O território Pataxó se localiza entre as embocaduras dos rios Caraíva e Corumbáu, e é uma área litorâmea com mangues e terrenos arenosos junto à costa, e campos e florestas nas áreas mais interiores.

Os pataxó viviam originalmente em bandos, entre os rios João Tiba e São Mateus ao sul, e Pardo e Contas, ao norte, convivendo com diversas outras etnias.

O Parque Nacional de Monte Pascoal, localizado na cidade de Porto Seguro, é o primeiro lugar do continente avistado pelos portugueses. Atualmente, é uma Unidade de Conservação que reúne diversos ecossistemas, como floresta, restinga, mangue e praia. Possue 22.500ha de área, dos quais apenas 8.720 são destinados aos Pataxós. ALém de ser uma área pequena para as necessidades da tribo, a maior parte dessa área é composta por terrenos impróprios para a agricultura, como brejos.

As atividades econômicas básicas da tribo são a agricultura, a coleta animal e vegetal, a pesca e a caça. Há também a extração vegetal de piaçava e madeira e atividades comerciais. Os principais produtos agrícolas são a mandioca, a cana de açúcar, o milho, o arroz e o feijão. A coleta animal trata-se da extração de crustáceos e mariscos nos mangues. A produção artesanal tem se desenvolvido rapidamente, e está se tornando o principal meio de relação dos Pataxó com o mercado nacional.

A organização social é feita em famílias de cerca de seis pessoas, onde as crianças participam desde cedo das atividades domésticas. A divisão social do trabalho é pouco rígida, mas as atividades que exigem maior esforço são predominantemente masculinas. As tarefas mais complicadas sçai realizadas de forma cooperativa.

O cacique é o representante político do seu povo, servindo de intermediário entre os índios e o resto da sociedade, principalmente a FUNAI. O seu papel na aldeia é exercido com apoio dos chefes das famílias.


Referências

Nenhum comentário:

Postar um comentário