quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Deus, o sofrimento, e a humanidade como um Ovo

Tem gente que fala "olha só o mundo. olha que perfeição essa distância entre o Sol e a Terra. olha que maravilha de paisagem. que mundo lindo e perfeito que Deus criou pra gente" usando isso como argumento pra falar que Deus existe.

Eu acho que esse deve ser um dos piores argumentos pra defender a existência de Deus de todos.

Porque o mundo não é perfeito. Então se você acha que o mundo ser perfeito é mais um motivo pra acreditar que Deus existe, então esse motivo simplesmente não existe.

Muitas pessoas perguntam "porque Deus permite que o sofrimento existe?" Minha resposta padrão pra esse argumento (porque eu acredito que Deus existe) é que, com o sofrimento, com os problemas, com as imperfeições, a gente aprende. A gente aprende com os nossos erros. "mas porque Deus já não nos fez sabendo?" Porque quando a gente aprende por experiência própria, aprende muito mais. O conhecimento fica muito melhor guardado. E a memória da experiência é muito mais vívida do que a memória de ter lido isso em algum lugar ou ouvido alguém falar sobre isso.

Mas acho que a pergunta ainda é válida. Porque Deus permite que as pessoas sejam tão ruins umas com as outras? Porque Deus permite que catástrofes da natureza arruínem a vida de tantas pessoas? Porque tanta miséria, tanta mazela, tanta dor?

E porque as pessoas evoluíram pra ser tão ruins umas com as outras? (Porque, é claro, eu também acredito na Evolução). Porque temos tanto preconceito com o que é diferente e ganhamos tanto prazer com a violência, ao fazer e ao testemunhar? Porque evoluímos pra seguir o líder, fazer o que sempre fizemos, ao invés de nos abrir para o novo?

Mas talvez não seja nem Deus nem a Evolução. Talvez seja só a nossa cultura. Vivemos numa época de preconceitos (quanto tempo dura essa época, eu não sei. Talvez ela já dure o quê, uns 100 mil anos?). Mas a cada tantos anos o alvo desse preconceito muda. Ameríndios, irlandeses, protestantes, bruxas, ateus, mulheres, homossexuais, transexuais, feministas, comunistas, muçulmanos, cristãos, negros. Em lugares diferentes, diferentes pessoas diferentes são as perseguidas. E a gente vive - e 'prospera' - num sistema que permite essas perseguições. E quando a gente percebe quão idiota é um preconceito - porque não deixar brancos se casarem com negros?? porque não deixar negros usarem o mesmo bebedouro que os brancos?? - outro entra em evidência, que muito provavelmente sempre tenha estado ali, mas que não chamava tanta atenção - porque eles não gostavam das pessoas transexuais?? porque insistiam em usar um nome que não era o delas??

Eu vejo que o mundo não é perfeito. Tem muitos problemas - alguns criados por Deus, outros criados pela Evolução, outros criados pela nossa cultura e sociedade - mas tem muitos avanços, se comparado com o mundo em que vivíamos antes (e alguns retrocessos. como assim eles deixaram a empresa poluir um rio inteiro e ficar tanto tempo sem punição???)

Mas eu vejo que cada vez mais gente tem noção desses problemas, e noção que eles são problemas. E uma coisa que eu tenho na cabeça, desde que eu li a história dO Ovo (recomendo), é que a gente não pode melhorar a vida das pessoas que viveram antes da gente, e a gente tem um bom alcance pra ajudar as pessoas que vivem ao mesmo tempo que a gente, apesar de limitado, mas a gente tem uma possibilidade quase que infinita de ajudar todas as pessoas que vão vir depois da gente. E se somos todos da mesma espécie humana, se somos todos companheiros nessa aventura que é a vida, a mesma alma reencarnada várias e várias vezes em corpos diferentes através do tempo e do espaço, então a gente pode tentar ajudar a nós mesmos.

Acho que eu continuo com a minha resposta de porque existe sofrimento. Pra ser um desafio. Pra gente aprender. Pra gente ter que pensar e repensar sobre a nossa vida, as nossas ações, a nossa humanidade. Como se todo esse universo fosse só uma preparação, uma gestação para a próxima fase. Muita gente se preocupa, achando que o mundo vai acabar e que a humanidade vai se extinguir. Mas eu acho que a gente não vai ter essa dádiva de ir para a próxima fase enquanto não conseguir resolver os problemas dessa aqui.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Hamãy, a Protetora dos Animais

  O índio acredita e respeita muito a natureza. Por isso, os maisvelhos recomendam muito quando vamos para a mata fazer algumacaçada. Eles pedem para não ferir os animais e deixar ir embora,porque existe a protetora dos animais, que é a Hamãy.
 
Hamãy também nos proteje, mas fica muito aborrecidaquando alguém fere um dos seus animais, pois vai dar muito trabalhopara ela. Hamãy pode aparecer para as pessoas de várias maneiras,isto diziam meus avós. Ela chega até a atrair as pessoas, não acertandode volta o caminho para casa, quando abusam de sua autoridade.
 
Sua casa é a floresta, por isso, precisamos tomar muito cuidadoquando pisamos na mata para qualquer atividade.
 
Certa época, um parente foi tirar palha de Jussara paraemprensar massa de mandioca para fazer farinha. Não sei o queaconteceu, que ele ficou preso na selva e foi parar no abrigo deHamãy.
 
Lá, ele viu muitos animais feridos. Ela chamou e disse:
 
— Você está vendo estes animais feridos? o os animaisque você e seus amigos ferem quando vão caçar, por isso é que eulhe trouxe aqui, para poder ver. Agora, vá embora e nunca maisfaça isso. Saiba como entrar na mata para fazer sua caçada.
 
Arareby Pataxó